SOBRE CRIATIVIDADE E PROCESSOS DE CRIAÇÃO

SOBRE CRIATIVIDADE E PROCESSOS DE CRIAÇÃO

Se eu posso dizer que algo em específico me dá vida e me energiza é estar criando coisas novas a todo momento. Não é atoa que a criatividade é um tema que me interessa profundamente e que permeia meus trabalhos. Compartilho com vocês alguns insights que eu coletei ao longo da minha jornada. Eles não são criação minha, mas levo dentro de mim.

A primeira coisa que me vem em mente é uma lição importante das aulas de desenho: “se você quer criar algo realmente novo, pegue a primeira ideia e jogue no lixo”. Mais tarde, fui entender que esse fenômeno é chamado na academia de fixação. Quando nos colocamos o propósito de pensar em algo novo, o primeiro movimento que nosso cérebro faz é buscar referencias que já conhecemos, mas ele não nos indica onde é que vimos aquilo e por isso temos a sensação de que o que estamos fazendo é novidade.

Outro ponto importante é que a criatividade, como definido por Fayga Ostrower (artista e autora de “Criatividade e Processos de Criação), é uma integração do consciente, do sensível e do cultural. O sensível é a dimensão das sensações, a nossa forma de entrar em contato com o mundo. Muito de nossas sensações fica em nosso inconsciente e não se transforma em algo novo. Por isso, a dimensão do consciente a complementa dando uma forma organizada a essas sensações, ou seja, uma estrutura. Estas duas dimensões são inatas aos seres humanos e por isso não existe pessoa que não seja criativa, o que existem são diferentes manifestações da criatividade.

Não é atoa que uma das chaves da criatividade, segundo a Escola de Criatividade, é o reconhecimento da circunstância (círculo + instante), reconhecer o que está a nossa volta a cada momento. Após o reconhecimento o processo se completa quando aprendemos e tiramos proveito das circunstâncias. É importante constantemente explorar, construir e representar as nossas experiências e, acima de tudo, treinar o olhar, a percepção.

Fechando o parênteses, chegamos na dimensão cultural de Fayga. Nenhum ser humano cria isolado de uma cultura, agimos apoiados em ensinamentos de pessoas que vieram antes (mesmo naqueles casos que o movimento é de contra-cultura, algo precisa ser negado). Isso me remete a um conceito de Augusto de Franco que garante que “toda criação é uma co-criação”. Ele parte da ideia de polinização cruzada, explicando que da mesma forma que as abelhas carregam o pólen de diversas plantas para tantas outras, nós vamos coletando pedacinhos de informações e vamos espalhando por ai, até que pegamos um conjunto desses conteúdos e conseguimos dar uma forma a eles. A criação do computador como conhecemos hoje é um grande exemplo desse fenômeno. Foi um processo longo em que várias pessoas fizeram pequenas contribuições e se conectaram pessoalmente ou por meio de registros escritos e conseguiram transformar uma calculadora em uma máquina multi-tarefa indispensável no nosso dia a dia (se quiser conhecer essa história, indico o livro “Os inovadores: uma biografia da revolução digital” de Walter Isaacson).

Outro importante estudioso da criatividade e contador de historias de grandes invenções desenvolvidas em grupos é Domenico de Masi. Dele queria trazer a ideia de que a criatividade é uma mistura de “fantasia e concretude” (expressão que não por acaso é subtítulo de um de seus livros). Fantasia, porque exige a capacidade de imaginar, concretude porque não só exige muito trabalho, mas também excelência em alguma técnica. Quanto mais se desenvolve uma habilidade, mais liberdade criativa se tem. Grandes poetas conhecem muito de sua língua, assim como é o conhecimento dos instrumentos musicais que permite os músicos de jazz criarem por meio do improviso. Grandes inovadores, são disciplinados.

Termino este texto com uma frase que conheci por meio de um colega de mestrado (Ken Fonseca) que diz: “insight não vem em hora marcada”, eles tiram nosso sono e nossa atenção. Nada como ter um caderninho sempre a mão!

Quer ver este conteúdo em vídeo?
Acesse o canal da VI:::Visualize Interações

“A criatividade é um potencial inerente ao homem, e a realização desse potencial uma de suas necessidades” – Fayga Ostroewer

By |2018-09-26T18:33:12+00:00fevereiro 18th, 2015|Criatividade|0 Comments

About the Author: